domingo, 28 de fevereiro de 2010

“Eu já não sei se fiz bem ou fiz mal...”


Atire a primeira pedra quem nunca errou...
Quem nunca trocou os pés pelas mãos.
Quem simplesmente não amou alguém impossível de amar.

Depois de tantos percalços na minha vida
E de por um momento acreditar que não erraria mais.
Estou eu de volta a este mal...

O que fazer se nem ao mesmo sei o que é certo ou errado?
O que achar? Em que acreditar?
Simplesmente não sei...

Será que existe alguém mais confuso do que eu??
Própria exponencial que explode ao infinito
Com um simples acontecimento.

O que sentir? O que pensar?
Continuo sem respostas para muitas perguntas...
Das quais eu nem ao menos sei...
...”se fiz bem ou se fiz mal”.
Sinceramente???...Eu não sei.

Sentir


É horrível ter que arrancar do coração quem você ama...
É horrível ter que esquecer quem você não quer
E que nunca sequer pensou em esquecer.
Mas horrível mesmo é a dor de conviver
Com um vazio inevitável que você me faz.

Saudades...
Dos momentos bons que um dia vivemos.
Saudades do seu sorriso.
Ah, quanta saudades...

Mas você se foi
E pra nunca mais voltar...
Levou embora a minha alegria.
Deixou a tristeza no ar.

Partiu sem olhar para trás.
Trilhou novos caminhos
Encontrou uma nova companhia.
E me deixou aqui a chorar.

O tempo passou...
Novas histórias surgiram
Meu coração se reestruturou.
E finalmente encontrou um novo amor.

O pulsar de uma dor sem fim


Você tem o poder de me fazer feliz
De me transformar na mais boba das criaturas
Que vive a sonhar, sonhos com você...

Mas vem você e leva embora a minha felicidade
Dar-me o mundo e me deixa o nada
O amor se transforma em lágrimas
E da alegria surge à tristeza
E dos momentos restam apenas o vazio
E o meu mundo que era tão colorido
Hoje não passa de cinzas e pó.

E achando pouco o que fizeste comigo
Vinhas ainda a me machucar
Cravando espinhos no meu coração
Deixando marcas no meu pensar.

Vai embora criatura
Levas tudo que foi teu
Sai da minha vida sem deixar vestígios
Faz-me acreditar
Que o nosso amor foi apenas um sonho bom que morreu.

(escrito em 12/09/09)

Desilusão


Por um momento eu acreditei
Que tinha encontrado um grande amor...
Mal sabia eu que este amor não existia
Era fruto da minha imaginação!

Oh pobre coração
Trata de curar-te novamente
Afinal já devias até ter te acostumado
Pois na vida o amor não foi feito para a gente.
(escrito em 08/06/09)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Se você soubesse...


Se você soubesse...
O quanto de ti ainda resta dentro de mim.
O quanto eu sonhei e sonho contigo.
O quanto eu penso em você...

Mas você não sabe...
Ou finge não saber.
Faz de conta que nem se importa
com o que possa acontecer.

Se você soubesse...
Que apesar de nunca ter te visto.
De nunca ter te tocado.
De nunca ter de beijado.
O quanto eu gosto de você.

Se você soubesse...
Talvez acreditasse em amor a primeira vista.
Em sentimentos loucos que não existe explicação...
Mas falam por si só...
Talvez você se permitisse corresponder.
E pudéssemos enfim ser só eu e você.

Ah se você soubesse...

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Página em branco...


Fase plana, tranqüila...
Vazios sem explicações.
Indefinições.
Velhas perguntas sem respostas.
Velhos hábitos...
Contradições.
Roda viva em plena movimentação.
Páginas em branco de uma vida sem rumo.
Se ela ao menos soubesse responder a uma simples pergunta:
Quem sou eu???
Nem isso ela sabia...
Como poderia saber quem era se vivia em constante transformação?
Confusão, gritos de socorro...
Medo
Do amanhã, do ontem e do hoje.
Tantos planos... nenhum chegaram perto de uma concretização.
Sorri da própria desgraça, pois já não há lágrimas para chorar.
Perdida no vazio...
Imaginando o que fez de errado pra merecer tal vida.
Não chega a nenhuma conclusão.
E sai...
Sai sem destino e sem olhar para trás...
Afinal, não tinha motivos sequer de olhar para trás...
Não tinha construído nada, não tinha laços à ninguém...
Desde que se entendia por gente sempre fora só.
Ela e ela mesma.
Então caminhou rumo ao sul
Imaginando que talvez o que fora dela estivesse guardado naquela direção.
Sabia apenas que precisava caminhar...
Não poderia ficar parada esperando que o nada por si só continuasse no nada.
Embora tivesse nascido sem sorte.
Não precisaria ficar esperando que todas as desgraças do mundo caíssem na sua cabeça.
Pelo menos andaria o máximo que pudesse.
Conheceria o mundo já que não conseguia conhecer a si mesma.
E partiu...
Sem destino, sem rumo, sem nada...
Mas com a intenção de se chegar a algum lugar.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

A Essência do amar...


No mais que de repente tudo muda...
Você passa um tempo sozinha e do nada puff...
Eis que surge o amor.
E pior, de onde você menos esperava.
É engraçado neh como o destino vive pregando peça na gente.
Mais engraçado ainda é se apaixonar por um alguém que você nunca imaginou.
Um alguém que estava o tempo todo ao seu lado e você simplesmente não percebeu que o amor da sua vida tava ali, bem pertinho de você.
Procuramos demais pela pessoa amada e às vezes esquecemos que ela pode estar ao nosso lado.
Basta uma simples frase para despertar.
E de um beijo surge os sonhos, de um sorriso sincero surge os planos...
E na junção de tudo isso surge um relacionamento.
Pois eh pessoas...
Estou eu aqui de volta ao verbo amar.
Posso dizer que apesar de todos os percalços...
No fim sempre vale a pena =D.
Beijão galera e boa sorte pra vocês!!!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Confusão


Confusa...
Sentimentos estranhos acontecendo ao mesmo tempo.
O que fazer???
Perdida no próprio destino.
Imersa em um turbilhão de pensamentos e não chega a nenhuma conclusão.
Que caminho tomar?
Escolhas...
Perdida em um cruzamento do agora.
E não se sabe para onde ir...
Esperando uma luz,mas essa luz não chega.
Entre o certo e o duvidoso.
Mas quem garante que o certo não é duvidoso?
E que o duvidoso não pode ser certo?
Simplesmente não sabe.
Continua perdida...
Esperando uma solução que não chega.
Esperando um sopro de respostas...
Esperando...
Até quando???
Não se sabe...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

De quarentena...


Literalmente de quarentena.
Recrutei-me a um descanso a fim de fazer uma longa reflexão sobre a vida.
Tava precisando de um momento só meu.
Um momento no qual eu precisava rever muitas coisas...
Pensar, pensar, pensar...
Quanto tempo eu não fazia isso???
Mas tem hora que não pensar também ajuda.
Costumo dizer q tive um momento de conclave sentimental...
Hehehehehe
Coisas de Patrícia Crispim...
Mas, foi muito bom.
Apesar de como já havia falado em “o amor não tira férias”.
Os problemas também não tiram.
Mas mudar de ambiente ajuda muito a você pelo menos encarar os problemas por outros ângulos...
O que você antes fazia um bicho de sete cabeças...
Quando sua cabeça ta leve, longe daqueles problemas que tanto te atormentam, você passa a enxergá-los de outras formas.
Então comecei a analisar sobre os últimos acontecimentos, sobre o ano que se passou...
Tantos erros, tantas decepções... momentos fins.
Que talvez se você tivesse a oportunidade de voltar no tempo faria diferente ou não, talvez os cometessem novamente porque apesar de não ter terminado bem, mas foi bom o suficiente pra ser repetidos.
Muitas coisas boas também...
Posso dizer que 2009 foi um vulcão em constante erupção.
Mas que no seu término a chama cessou e muitas coisas foram resolvidas.
Até arrumei um novo amor...
Tudo bem, um amor que eu ainda mal conheço, mas a vida é assim, n se escolhe por quem amar...
Enfim, posso dizer que depois de uma longa quarentena eu estou ótima.
Feliz, leve, apaixonada...
Pronta pra encarar um 2010 com sorriso no rosto e de boa...
Que venha o mundo, que venha os dias...
Estou prontaaaaa.
Com o coração a pulsar clamando pela vida.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Esses dias...


Dias só, momentos só...
Pensamentos vagueiam a mente
Perguntas sem respostas...


Sentimentos vãos...
Parafusos soltos em busca de conexão.
Angustia, tédio, desorientação...

Eu, você... nós.
Uma equação.
Nós, eu... você
Separação.

Eu, eu... apenas eu.
Incompreensão.
Você, você... você.
Indefinição.